Menu

Coleção Cinema Marginal Brasileiro - Vol. 7 - Sérgio Bernardes Filho

Realizados

Sérgio Bernardes Filho

Filho do célebre arquiteto de mesmo nome, Sérgio Bernardes (também conhecido como Sérgio Bernardes Filho) nasceu em 1944 no Rio de Janeiro. Em 1962, começou seus estudos de cinema no IDHEC (Institute des Hautes Études Cinématographiques), em Paris. Em seguida, ainda na Europa, estudou coreografia e teatro com Maurice Béjart e composição e trilha sonora com o músico Pierre Henry. Volta ao Brasil na segunda metade dos anos 1960 e realiza dois filmes, o documentário em curta-metragem Venha doce morte (1968), sobre o asilo São Luiz (RJ), e o longa-metragem de ficção Desesperato (1968), que ganhou por unanimidade os prêmios de melhor filme, melhor ator (Raul Cortez) e melhor atriz (Marisa Urban) no Festival de Belo Horizonte de 1968. Posteriormente, Desesperato teve negado seu certificado de exibição pelo governo militar e tornou-se proibido para circulação.

De volta à França, realizou o documentário curto Le masque (1976), sobre terapia alternativa. Novamente no Brasil, filmou seu segundo longa de ficção, Madrepérola (1978), que ficou inacabado. A seguir, realizou Rio: plano político-administrativo do município (1982), documentário sobre o plano de seu pai para o município do Rio de Janeiro. A partir daí, passou a utilizar o vídeo como formato e empreendeu diversas viagens à Amazônia e a outras áreas não urbanas. Desenvolveu uma extensa produção em vídeo nos anos 1990, entre os quais os premiados Panthera onca (1990), Os guardiões da floresta (1990) e Casa da floresta (1992). Na segunda metade da mesma década, criou o projeto Via Brasil, com expedições por todo o Brasil e um documentário institucional finalizado em 2000.

Produziu, em seguida, as videoinstalações Nósenãonós (2003, CCBB/RJ), Amazônia (2006, Jardim Botânico/RJ) e Mata Atlântica (2007, Espaço Tom Jobim). Seu último grande projeto foi Tamboro, um documentário-síntese das questões sociais, econômicas e ambientais que afetam o povo e o território brasileiro. Bernardes morreu em 2007, deixando seu último filme editado. Dois anos depois, Tamboro estreou no Festival do Rio, em que ganhou os prêmios de montagem e de voto popular, além de um prêmio especial do júri.

Ruy Gardnier

 

Conteúdo do DVD

Desesperato

(1968, Sérgio Bernardes Filho, Rio de Janeiro, 85 minutos, 35 mm, p&b)

 

Rio: plano político-administrativo do município

(1982, Sérgio Bernardes Filho, Rio de Janeiro, 72 minutos, 16 mm, cor)

 

Venha Doce Morte

(1969, Sérgio Bernardes Filho, Rio de Janeiro, 22 minutos, 16 mm, p&b)

 

Extras

Material bruto do filme inacabado Madrepérola

 

Vinheta Cinema Marginal

 

 

Outros Projetos


website: pratza