Menu

Coleção Cinema Marginal Brasileiro - Vol. 1 - Andrea Tonacci

Realizados

ANDREA TONACCI

Nasceu em Roma em 1944. Veio para o Brasil ainda criança, em 1953. Iniciou sua carreira cinematográfica dirigindo o curta-metragem Olho por olho (1966) e fotografando Documentário (1966), de Rogério Sganzerla, e O pedestre (1967), de Otoniel Santos Pereira. Em seguida, realizou o média-metragem Blá, blá, blá (1968). Seu primeiro longa-metragem é Bang bang, exibido na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes de 1971. O filme é considerado um marco do cinema Underground brasileiro e um dos filmes mais emblemáticos do período. Em 1975 realizou Jouez encore, payez encore (Interprete mais, pague mais), filmagem em vídeo e 16 mm de uma produção teatral de Ruth Escobar na França e no Irã. Em seguida, desenvolveu diversos estudos e projetos audiovisuais com nações indígenas brasileiras e estrangeiras, entre os quais o longa Conversas no Maranhão (finalizado em 1977), sobre os Timbira, e uma série para TV em três partes, Os Arara (1981-83). Nos anos 1990, dirigiu uma série de curtas e médias-metragens, em que se destacam Bienal Brasil século XX, Theatro Municipal de São Paulo e Biblioteca Nacional. Em 2006, finalizou o longa Serras da desordem, projeto de mais de dez anos. O filme, que reconstitui ficcionalmente a história real de um índio desgarrado de seu povo, é considerado pela crítica um dos melhores filmes brasileiros dos últimos anos.

Conteúdo do DVD:


Bang-bang 

(1971, Andrea Tonacci, São Paulo, 81 minutos, 35 mm, p&b)


Blá-blá-blá

(1968, Andrea Tonacci, São Paulo, 26 minutos, 16 mm, p&b)


Olho por olho

(1966, Andrea Tonacci, São Paulo, 20 minutos, 16 mm, p&b)


EXTRAS: Palestra com Ismail Xavier, comentários do diretor, trailer Bang-bang e vinheta Cinema Marginal.


 

Outros DVDs


website: pratza