Menu

Coleção Cinema Marginal Brasileiro - Vol. 2 - Rogério Sganzerla

Realizados

ROGERIO SGANZERLA

 Nasceu em Joaçaba, Santa Catarina, em 1946. Em meados dos anos 1960 mudou-se para São Paulo e foi crítico de cinema dos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde. Seu primeiro filme é o curta Documentário, de 1966. Seu primeiro longa-metragem, O Bandido da Luz Vermelha (1968), foi um divisor de águas no cinema brasileiro. Em seguida realizou A Mulher de Todos (1969) e criou com Julio Bressane e Helena Ignez a produtora Belair, na qual dirigiu Sem essa, Aranha (1970), Copacabana mon amour (1970) e Carnaval na lama (1970). Foi para a Inglaterra em 1970, dando início a uma série de viagens pelo mundo, entre as quais à África, onde filmou Fora do baralho (1971), projeto inacabado. De volta ao Brasil, realizou Abismu (1977). Nem tudo é verdade, de 1986, é o primeiro projeto de Sganzerla tendo como tema a viagem fracassada de Orson Welles ao Brasil para filmar It’s all true. Filmou em seguida o curta Linguagem de Orson Welles (1990) e os longas Tudo é Brasil (1998) e O signo do caos (2003). Em curta e média-metragem homenageou dois ídolos, Noel Rosa com Noel por Noel (1981) e Isto é Noel Rosa (1990) e Oswald de Andrade com Perigo Negro, episódio do longa Oswaldianas (1992). Morreu em janeiro de 2004 em decorrência de um tumor cerebral.

 Ruy Gardnier

 

Conteúdo do DVD

 Sem essa, Aranha
(1970, Rogério Sganzerla, Rio de Janeiro, 92 minutos, 35 mm, cor)

A Miss e o Dinossauro – Bastidores da Belair
(2005, Helena Ignez, Rio de Janeiro, 18 minutos, Super – 8, cor)

Histórias em Quadrinhos
(1969, Rogério Sganzerla e Álvaro de Moya, São Paulo, 9 minutos, 35 mm, cor)


Extras: Entrevista com Rogério Sganzerla e Vinheta Cinema Marginal  

 

Outros DVDs


website: pratza